MAPA CONCEITUAL DINÂMICO NO CONTEXTO ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOCIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE NÍVEL MÉDIO

Mário Sérgio Monteiro de Souza, Andréa Velloso da Silveira Praça

Resumo


“Mapa Conceitual Dinâmico no Contexto Ensino-Aprendizagem de Biociências na Formação de Professores de nível Médio.”

Autores: Souza, Mário S.M. de [1]; Praça, Andréa V. da S.[2]

O século XXI iniciou-se com fortes transformações sociais no cenário político, econômico e cultural e notadamente o comportamento humano foi reavaliado com relação às questões de meio ambiente, saúde e comportamento sexual. Este campo das rupturas de ideias, reformulações, reposicionamentos e apropriação dos temas relativos ao ensino de biociências (DELIZOICOV, 2002), levam-nos a duas dimensões para o currículo nos dias atuais, que se distinguem em: - o currículo escrito, documentado, oficializado e o currículo educativo, oficioso ou oculto, prescrito e atuante.  O currículo quer seja de uma forma, quer seja de outra, torna-se um fator de aproximação ou afastamento das proposições e concepções atuais do Ensino de Biociências.

            Observa-se a coexistência de propostas curriculares que vão desde a simples “adaptação e adequação” do currículo das Ciências Naturais (LOPES & MACEDO, 2002; SOUZA & LA ROCQUE, 2005) e metodologias da educação, propostas tecnicistas, onde a preocupação da formação do educando centra-se apenas na preparação para o trabalho, bem como propostas democráticas e inclusivas, fundamentadas em teorias de aprendizagem sociointeracionistas (VYGOTSKY, 1989; FREIRE, 1996) e Teorias de Aprendizagem Significativa (NOVAK, 1984; MOREIRA, 2003) numa visão de ensino de Biociências, reflexiva, participativa e emancipatória, buscando desenvolver nos educandos a alfabetização científica.

Seguindo esta linha de raciocínio, será desenvolvida uma pesquisa focada na seguinte questão-chave, (QUIVY & CAMPENHOUDT, 1992): - Como o Mapa Conceitual Dinâmico pode ser uma estratégia eficaz, na detecção de mudanças conceituais em Biociências, no Curso de Formação de Professores de Nível Médio?  E nos seguintes Objetivos Geral e Específicos:

Objetivo Geral

Criar uma ferramenta didática para identificar mudanças conceituais no ensino aprendizagem de Biociências; 

Objetivos Específicos:

 1º) Identificar a adoção dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Ensino Fundamental e Médio e do Currículo Mínimo do Estado do Rio de Janeiro para o ensino de biociências na formação de professores em nível Médio;

2º)Levantar os conhecimentos gerais de biociências nas turmas da 1ª e 2ª séries do Curso de Formação de Professores em nível Médio.

3º) Estimular o uso do Mapa Conceitual Dinâmico, como fator de auto avaliação e estratégia didática no processo de ensino aprendizagem de Biociências a identificar os caminhos e estratégias didáticas  adotadas na  construção de conhecimentos sobre Ciências na formação de futuros professores;

Partindo dos pressupostos acima e para atingir estes objetivos aplicaremos, embasados na metodologia de Joseph D. Novak, a estratégia do Mapa Conceitual Dinâmico em turmas de primeira e segunda série do Ensino Médio, na disciplina biologia, de um Colégio Estadual de Formação de Professores no centro do município do Rio de Janeiro.

O Mapa Conceitual Dinâmico será aplicado em três etapas do processo de ensino aprendizagem de conhecimentos gerais de biociências e através dos resultados pretendemos validar e estimular o Mapa Conceitual Dinâmico como uma estratégia de ensino aprendizagem em Biociências, corroborando para uma investigação qualitativa, reflexiva e a adequação de estratégias didáticas que propiciem o desenvolvimento da alfabetização científica no ensino de Biociências em nível médio e em especial na Formação de Professores das séries iniciais.

 

palavras-chave: Mapa Conceitual Dinâmico; Ensino de Biociências; Formação de Professores; Alfabetização Científica; Educação.

  Referências Bibliográficas:

AUSUBEL, D.P. Psicologia Educativa: Um Punto de Vista Cognoscitivo. México,   

         Trillas,1978. Cap 4.

 

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais  

         para o Ensino Fundamental. Brasília: MEC/SEF,1997.

 

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília:

       MEC,1999

 

DELIZOICOV, D.; Angotti, J.A.; Pernambuco, M.M. Ensino de Ciências:

        Fundamentos e Métodos. São Paulo: Cortez editora, 2002. pp. 365.

 

KRASILCHIK, M.; Marandino, M. Ensino de Ciências e Cidadania.São Paulo: Editora 

         Moderna,2004

 

KRASILCHIK, M. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo

         Perspec.,14(1): 85-93, 2000.

 

KRASILCHIK, M. Formação continuada de profs. ensino de ciências: tendências nos

         anos 90. Campinas: Autores Associados; São Paulo: NUPES, 1996. p.135-140.

 

LOPES, A.C.; Macedo, E. A Estabilidade do Currículo Disciplinar: O Caso das

        Ciências.In:Lopes, A.C. & Macedo, E. (org.). São Paulo: Cortez Editora, 2002. pp.

        73-94.      

                                                                                                                                        

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São

       Paulo: Paz e  Terra., 1996.

 

MOREIRA, M. A. Pesquisa Básica em Educação em Ciências: Uma Visão Pessoal.

         disponível em http://www.if.ufrgs.br/~moreira/Pesquisa.pdf, último acesso em

         29/03/2015.

 

MOREIRA, M. A. Aprendizagem Significativa em Mapas Conceituais. disponível em http://50anos.if.ufrj.br/MinicursoMoreira_files/Moreira_APRENDIZAGEM_SIGNIFICATIVA_EM_MAPAS_CONCEITUAIS.pdf, último acesso 29/03/2015.

 

QUIVY, R; CAMPENHOUDT, L. V. A Pergunta de Partida IN: Manual de

        investigação em Ciências Sociais. Lisboa, Gradiva, 1992.

 

SOUZA, M.S.M.; La Rocque, L. Conhecimentos Gerais de Biociências: Os Saberes de

        Alunos do Ensino Médio de um Colégio de Formação de Professores. Disponível

       em http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/venpec/conteudo/artigos/1/pdf/p661.pdf 

       último acesso 29/03/2015.

 

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo, Martins Fontes, 1989.                                                                                                                                               


[1] cejkaulabio@gmail.com  Professor de Biociências da Rede Pública do Estado Rio de Janeiro, Assessor Pedagógico e Coord. Municipal do Programa Saúde na Escola pela SME/Duque de Caxias  e Mestrando do Ensino das Ciências na Educação Básica

[2] andrea.velloso@unigranrio.edu.br Orientadora, Professora  e Coordenadora da Pós-Graduação do Mestrado Profissional do Ensino das Ciências na Educação Básica


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.