ENSINO HÍBRIDO: UMA PROPOSTA PARA AULAS DE CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL

Onofe Saback dos Anjos, Roberta Flávia Ribeiro Rolando Vasconcelos

Resumo


 

                                      Onofre Saback dos Anjos                     Roberta Flávia Ribeiro Rolando Vasconcellos  

O surgimento da internet e das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) têm proporcionado avanços no processo de ensino e aprendizagem. Assim, a utilização de vídeos, animações interativas, simuladores e outros recursos virtuais que se tornam estratégias pedagógicas consistentes com modernas teorias de aprendizagem, se faz cada dia mais frequente nas escolas (LÉVY, 2000).  O uso dos diferentes recursos tecnológicos de comunicação, associados ao ambiente escolar abre uma série de novas possibilidades para que essa aprendizagem ocorra em rede, de maneira participativa, já que é baseado em interação e construção coletiva (GOODYEAR, et al, 2004). Esses recursos constituem ferramentas que têm muito a agregar ao processo de formação do aluno e potencializar a forma como têm acesso aos conteúdos. ALMEIDA  (2005) nos diz que essa forma de interagir com o recurso, possibilita que a ação seja mais participativa, comunicativa e criativa, uma vez que se afasta da distribuição homogênea da informação e assume uma modelo multidirecional  com vistas a formar a sua própria rede de conhecimentos.

O objetivo do presente trabalho é a implementação de um modelo de intervenção pedagógica no CIEP 306 Deputado David Quinderê, localizado no município de São Gonçalo - RJ e baseado em tecnologias educacionais e ferramentas colaborativas para o ensino de Ciências em uma concepção de aula híbrida (blended -learning) unindo o que há de melhor da educação à distância (o ensino virtual), com as vantagens da educação presencial (OESTERREICH & MONTOLI, 2012). Salientando que o blended-learning é muito mais do que simples multiplicação de canais, ele é na realidade uma combinação desses dois métodos, emergindo como um novo  conceito de aprendizagem. (MATHEUS FILIPE & ORVALHO, 2004). 

Tal modelo será constituído por aulas presenciais em uma sala de aula inovadora, com utilização do projetor interativo e computadores e, atividades no ambiente virtual de aprendizagem (AVA). Para  isso, cada turma  envolvida no projeto terá o seu próprio AVA na plataforma Moodle, onde serão inseridos os objetos educacionais utilizados pelo professor durante as aulas presenciais e outros materiais como: textos, animações, simuladores, jogos online, aplicativos, exercícios e outros, de acordo com a sequência de conteúdos estabelecida pelo currículo escolar.

A metodologia do presente trabalho é baseada no conceito de pesquisa-ação em que o plano de intervenções foi desenhado para atender aos objetivos propostos (THIOLLENT, 2000). Segundo Thiollent (2004), a pesquisa-ação presta-se a trabalhos de investigação com grupos, instituições, conferindo-se ênfase à análise das diferentes formas de ação utilizadas nas relações sociais estruturalmente determinadas. É ponto marcante dessa metodologia de pesquisa que por meio dela se procure intervir na prática de maneira inovadora já durante as etapas do processo de pesquisa e não apenas como possível consequência de recomendações e/ou orientações que são lançadas ao findar do projeto (ENGEL, 2000).  

O projeto compreenderá as seguintes etapas: (1) Implementar uma sala de aula inovadora, com utilização de um projetor multimídia interativo e computadores em uma proposta de sistema misto de ensino. (2) Implementar um ambiente virtual de aprendizagem (AVA) para as turmas envolvidas no projeto. (3) Publicar os planos de trabalho utilizados em portais disponíveis na Web como: Portal do professor (http://portaldoprofessor.mec.gov.br) e Portal “Unigranrio na Educação Básica”.  (4) Avaliar o impacto da utilização de uma sala de aula multimídia e  da implementação do sistema misto de ensino (Blended-Learning) nas turmas envolvidas. 

As aulas para essas turmas serão ministradas mesclando momentos presenciais, conceituados como “síncrono físico” por Matheus Filipe & Orvalho (2004), onde alunos e professor estão em sala de aula ao mesmo tempo, como também através de um ambiente virtual por meio de um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) e a  avaliação do projeto será por meio de dois instrumentos: (1) questionário de estratégias de motivação para aprendizagem, o MSLQ (Motivated Strategies for Learning Questionnaire) e por meio de entrevistas abertas realizadas junto aos alunos envolvidos no projeto. O MSLQ é um instrumento baseado em uma visão cognitivista geral que foca habilidades de estudo, motivações e estratégias, considerando o aluno capaz de identificar e refletir seu modo de pensar e estudar (Pintrich, 1991). Parâmetros como o tempo dedicado pelos alunos com os recursos multimídia, bem como outras práticas sugeridas também serão observados e todos os dados serão analisados de forma cruzada, no intuito de aumentar o poder de análise e interpretação dos dados (Patton, 2002).

Como resultado parcial, temos a elaboração e publicação de planos de trabalho relativos aos 6º, 7º, 8º e 9º anos do ensino fundamental II que serão utilizados para nortear o planejamento das aulas no sistema misto de ensino (Blended-Learning) nas turmas envolvidas no projeto.


Palavras-Chave: Tecnologias educacionais. “Blended-learning”. Ensino de Ciências.

 

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Tecnologia na escola: criação de redes de conhecimentos, 2005.

ENGEL, Guido Irineu. Pesquisa-ação. Educar, v. 16, p. 181-91, 2000. Disponível em <http://redenep.unisc.br/portal/upload/com_arquivo/pesquisa_acao.pdf> acesso em 03 de jun. de 2015.

GOODYEAR, P. BANKS, S.; HODGSON, V.; MACCONNELL, D. Advances in researchonnetworkedlearning. Dordrecht, Netherlands; KluwerAcademicPublishers, 2004. Computer-supportedcollaborativelearning book series, v. 4.

LEVY, P. Word Philosophie: Le marche, Le cyberespace, La conscience. Paris: OdileJascob, 2000. 220p.

MATEUS FILIPE, A. J.; ORVALHO, J. G. Blended-learning e aprendizagem colaborativa no ensino superior. In: VII Congresso Iberoamericano de Informática Educativa. 2004. p. 2004. Disponível em: http://www.niee.ufrgs.br/eventos/RIBIE/2004/comunicacao/com216-225.pdf. Acesso em 09 mai. 2015.

OESTERREICH, Frankiele; MONTOLI, Fabiane da Silva. Blended lerning como uma proposta metodológica adotada no ensino superior. In: Anais do IX encontro virtual de documentação em software livre e VI congresso internacional de linguagem e tecnologia online. Volume 1, número 1, 2012.  Disponível em: http://porvir.org/wiki/ensino-hibrido-ou-blended-learning. Acesso em 07 mai. 2015.

PATTON, M. (2002). Qualitative research and evaluation methods. 2rd ed. Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

PINTRICH, P. R., SMITH, D. A., GARCIA, T., & MCKEACHIE, W. J. (1991).A manual for the use of the motivated strategies for learning questionnaire (MSLQ).ERIC Document Reproduction Service No. ED 338122 .

THIOLENT, M.A.F. (org.). Metodologia e experiências em projetos de extensão. Niterói: Eduff, 2000.

THIOLENTE, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 13. Ed. São Paulo: Cortez, 2004.



Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.