Abordagens Conceituais da Matemática por meio do Geogebra

Renan Marques Pereira

Resumo


A proposta deste produto educacional (PE) surgiu principalmente com as diversas preocupações de como os professores poderiam abordar conceitos da Matemática utilizando a tecnologia digital, sempre com o desígnio maior de enriquecer o Ensino da Matemática (EM). Entre diversas concepções e interpretações que as tecnologias digitais educacionais podem ter, esse PE busca por meio do Geogebra desassociar a dicotomia existente entre a educação e a matemática.

            Na elaboração deste PE foi priorizado o estudo das relações entre os objetos que fazem parte de construções geométricas (ponto, reta, segmento de reta, circunferências, triângulos etc), e por meio delas pode-se conjecturar (ou afirmar) alguns Teoremas. A finalidade do professor conjecturar inicialmente, é fazer com que o estudante reflita de como os objetos se relacionam nas construções, e todas apresentadas neste PE “podem ser manipuladas de forma que as propriedades e relações dos objetos construídos sejam preservadas” (GIRALDO et al., 2012 p. 120). Ou seja, independentemente de qualquer cálculo numérico envolvido, a relação será sempre a mesma, e o conceito matemático transmitido será o eixo das atividades no Geogebra.

              O professor de Matemática pode ter esse material digital disponível em um dispositivo portátil (pendrive ou cartão SD), e juntamente com o recurso computacional agregará as suas aulas estas atividades de cunho exploratório. Uma outra ideia apresentada foram textos de apoio sugerindo ao professor como ele poderia explorar essas atividades, com uma sequência didática interessante, seguindo passos até o estudante provar a conjectura feita inicialmente.

Por mais que não há um bloco de conteúdo específico, a ideia é aproveitar as potencialidades dos recursos digitais para se explorar os conceitos matemáticos elementares, e para Giraldo et al. (2012, p. VIII):

 

[...] é importante que sejam elaboradas atividades de aprendizagem que aproveitem as especificidades dos recursos computacionais para disparar investigação matemática e para revelar aspectos dos conceitos que ficariam ocultos com recursos ou representações convencionais.

 

 

A multiplataforma é uma das características desse PE, foi desenvolvido na linguagem html e independe do Sistema Operacional utilizado (Windows, MacOs ou Linux) para funcionar. Os textos de apoio estão na extensão pdf, podendo ser lido em qualquer plataforma também. É claro que esse material pode ser editável, por estar em uma memória flash (pen drive, por exemplo) os professores que farão seu uso podem aperfeiçoa-lo, e esta proposta de PE “constitui em apresentar ideias e informações que podem e devem ser discutidas, questionadas, adaptadas, combinadas e ampliadas pelo profissional de Educação (descobrir novas possibilidades de utilização da tecnologia)” (LEITE et al., 2012, p. 11).

Há inúmeros softwares matemáticos educacionais que possuem potencialidades e poderiam ser explorados neste PE, no entanto uma reunião de fatores implicaram para a escolha do Geogebra. Segundo o seu próprio autor, Markus Hohenwarter, o define como “um software gratuito e multiplataforma de Matemática dinâmica para todos os níveis de ensino. Ele integra geometria, álgebra, planilha eletrônica, gráficos, estatística e cálculo em um único ambiente fácil de usar”, além disso ele passa por atualizações frequentes (atualmente está na versão 5.0) que são sugeridas pelos usuários, por meio de fóruns e comunidades de pesquisa científica.

O ensino da matemática pode se tornar mais intuitivo quando nós professores levamos essas atividades para as nossas aulas, que podem ser retroprojetadas no quadro ou planejadas em laboratórios de informática, a fim de que os alunos vejam de imediato diferentes casos da construção geométrica, mas sem mudar sua essência, e de fato, “é possível relacionar conceitos e propriedades (que em muitos casos são tratados de forma estanque nos currículos tradicionais), bem como articular diversas formas de representação, de maneira dinâmica e interativa – abrindo portas para a abstração matemática” (GIRALDO et al., 2012 p. IX).

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.